quarta-feira, 6 de outubro de 2010

FUNGOS

Os fungos são os membros de um grande grupo de organismos eucariontes que inclui micro-organismos tais como as leveduras, bolores, e também os familiares cogumelos. Os fungos são classificados num reino separado das plantas, animais e bactérias. Uma grande diferença é o fato de suas células terem paredes celulares que contêm quitina, ao contrário das células vegetais, que contêm celulose. Estas e outras diferenças mostram que os fungos formam um só grupo de organismos relacionados entre si, denominado Eumycota (fungos verdadeiros), e que partilham um ancestral comum (um grupo monofilético). A disciplina da biologia dedicada ao estudo dos fungos é a micologia, muitas vezes vista como um ramo da botânica, mesmo apesar de os estudos genéticos terem mostrado que os fungos estão mais próximos dos animais do que das plantas.
Os fungos são abundantes em todo mundo, e sua maioria não se percebe de imediato devido ao pequeno tamanho das suas estruturas, e pelos seus modos de vida críticos no solo, na matéria morta, e como simbiontes de plantas, animais, e outros fungos. Podem tornar-se notados quando frutificam, seja como cogumelos ou como bolores. Os fungos desempenham um papel essencial na decomposição da matéria orgânica e têm papéis fundamentais nas trocas e ciclos de nutrientes. São  há muito tempo utilizados como uma fonte direta de alimentação, como no caso dos cogumelos e trufas, como agentes levedantes no pão, e na fermentação de vários produtos alimentares, como o vinho, a cerveja, e o molho de soja. Desde a década de 1940, os fungos são usados na produção de antibióticos, e, mais recentemente, várias enzimas produzidas por fungos são usadas industrialmente e em detergentes. São também usados como agentes biológicos no controle de ervas daninhas e pragas agrícolas. Muitas espécies produzem compostos bioativos chamados micotoxinas, como alcaloides e policetídeos, que são tóxicos para animais e humanos.
Os fungos podem decompor materiais artificiais e construções, e tornar-se patogênicos para animais e humanos. As perdas nas colheitas devidas a doenças causadas por fungos ou à deterioração de alimentos pode ter um impacto significativo no fornecimento de alimentos e nas economias locais. Contudo, pouco se sabe da verdadeira biodiversidade do reino Fungi, que se estima incluir 1,5 milhões de espécies, com apenas cerca de 5% destas formalmente classificadas. Desde os trabalhos taxonômicos pioneiros dos séculos XVII e XVIII efetuados por Lineu, Christiaan Hendrik Persoon, e Elias Magnus Fries, os fungos são classificados segundo a sua morfologia (caraterísticas como a cor do esporo ou caraterísticas microscópicas) ou segundo a sua fisiologia.
• Características:
  • como nos demais eucariontes, os núcleos das células dos fungos estão limitados por uma membrana e contêm cromossomas que contêm DNA com regiões não-codificantes chamadas intrões e regiões codificantes chamadas exões. Além disso, os fungos possuem organelas citoplasmáticas delimitadas por membranas tais como mitocôndrias, membranas que contêm esterois, e ribossomos.
  • Os fungos possuem poucos cloroplastos e são organismos heterotróficos.
  • Os fungos possuem uma parede celular e vacúolos. Reproduzem-se por meios sexuados e assexuados, e tal como os grupos basais de plantas (como os fetos e musgos) produzem esporos. Tal como os musgos e algas, os fungos têm núcleos tipicamente haploides.
  • Os fungos mais desenvolvidos, os euglenoides e algumas bactérias, produzem o aminoácido L-lisina em passos específicos de biossíntese, a via do alfa-aminoadipato.
  • As células da maioria dos fungos crescem como estruturas tubulares, alongadas e filamentosas designadas hifas. Estas podem conter múltiplos núcleos e crescer a partir das suas extremidades. Cada extremidade contém um conjunto de vesículas - estruturas celulares compostas por proteínas, lípidos e outras moléculas orgânicas. Crescem por divisão celular repetida ao longo de uma cadeia de células.
  • Algumas espécies crescem como leveduras unicelulares que se reproduzem por gemulação ou por divisão binária. Os fungos dimórficos podem alternar entre uma fase de levedura e uma fase com hifas, em função das condições ambientais.
  • A parede celular dos fungos é composta por glicanos e quitina.
  • Não sintetizam clorofila.

• Diversidade:
Os fungos têm uma distribuição mundial, e desenvolvem-se numa grande variedade de habitats, incluindo ambientes extremos como desertos ou áreas com elevadas concentrações de sais ou radiações ionizantes, bem como em sedimentos de mar profundo. Alguns podem sobreviver às intensas radiações ultravioleta e cósmica encontradas durante as viagens espaciais.
A maioria desenvolve-se em ambientes terrestres, embora várias espécies vivam parcial ou totalmente em ambientes aquáticos. As espécies podem também ser distinguidas pelas suas caraterísticas bioquímicas e fisiológicas, tais como a sua capacidade para metabolizar certos compostos bioquímicos, ou a sua reação a testes químicos. O conceito biológico de espécie discrimina as espécies com base na sua capacidade de acasalamento.

Estrutura dos fungos:

            Os fungos podem se desenvolver em meios de cultivo especiais formando colônias de dois tipos:
            - leveduriformes;
            - filamentosas.
            As colônias leveduriformes são pastosas ou cremosas, formadas por microrganismos unicelulares que cumprem as funções vegetativas e reprodutivas.
            As colônias filamentosas podem ser algodonosas, aveludadas ou pulverulentas; são constituídas fundamentalmente por elementos multicelulares em forma de tubo  as hifas.



Ao conjunto de hifas, dá-se o nome de micélio. O micélio que se desenvolve no interior do substrato, funcionando também como elemento de sustentação e de absorção de nutrientes, é chamado de micélio vegetativo.
Os blastoconídios, também denominados gêmulas, são comuns nas leveduras e se derivam por brotamento da célula-mãe. As vezes, os blastoconídios permanecem ligados à célula-mãe, formando cadeias, as pseudo-hifas, cujo conjunto é o pseudomicélio.


            Os artroconídios são formados por fragmentação das hifas em segmentos retangulares. São encontratos nos fungos do gênero Geotrichum, em Coccidioides immitis e em dermatófitos.

            Os clamidoconídios têm função de resistência, semelhante a dos esporos bacterianos. São células, geralmente arredondadas, de volume aumentado, com paredes duplas e espessas, nas quis se concentra o citoplasma. Sua localização no micélio pode ser apical ou intercalar. Formam-se em condições ambientais adversas, como escassez de nutrientes, de água e temperaturas não favoráveis ao desenvolvimento fúngico.

11 comentários:

  1. A maior parte dos fungos, assim como as bactérias, desempenho papel de grande importância na economia da natureza. Esses seres, na busca de seu alimento, decompõem o as plantas mortas que revestem o solo das regiões florestadas, e degradam os restos de outros organismos. Nesse processo produzem anidrido carbônico, que passa para a atmosfera, e diversas substâncias minerais, que, dissolvidas no solo pela chuva e umidade, constituem alimento para outras plantas.

    Os fungos destroem, assim material que, de outra forma, iria acumular-se em quantidades incalculáveis. Eles são, portanto, os laboriosos lixeiros da natureza.

    Já vimos que os fungos ajudam as raízes de muitas plantas na absorção da água; muitos desses fungos são venenosos, mas não devem, por isso, ser destruídos, pois são úteis nas zonas de árvores.

    Além de úteis para a natureza, os fungos são, como vimos, úteis para o homem. Todos conhecem a penicilina e outros antibióticos. Essas substâncias são produzidas por alguns tipos de mofo (fungo microscópico) e têm a propriedade de destruir bactérias e outros microorganismos causadores de várias doenças graves.

    Isso sem falar dos lêvedos, fungos indispensáveis à produção de pão, vinho e cerveja. E nos fungos comestíveis.

    Por:Edivan Santana.

    ResponderExcluir
  2. Por : Kamila Bianca

    Esse blog é muito interessante pois mostra a diversidade, principais características, modo de vida e as estruturas dos FUNGOS.
    Os fungos, também conhecidos como cogumelos, são organismos uni ou pluricelulares e não possuem pigmentos fotossintetizantes.
    Eles possuem parede celular, sua reprodução normalmente envolve a participação de esporos, como ocorre nas plantas mas são heterotróficos(através da absorção) como os animais.
    Existem alguns fungos que causam doenças, como o sapinho (candidiase), causada pelo fungo Candida albicans, a frieira ou pé-de-atleta causada pelo fungo Tinea pedis, a blastomicose, que é uma micose grave que pode causar a morte por causa de lesões na pele e em órgão internos, entre outras doenças.
    Porém, há fungos que são utilizados para fabricar alimentos, como pão, cerveja, vinho e também na fabricação de remédios.
    Os fungos, são a maioria terrestres e vivem em lugares úmidos e rico em matéria orgânica.
    Os fungos podem ser decompositores ou parasitas,
    sendo que os decompositores se fixam em organismos mortos e os parasitas em organismos vivos.

    ResponderExcluir
  3. Por: Marilia Alves

    O Reino Fungi compreende os organismos eucariontes, heterotróficos que se alimentam de nutrientes absorvidos do meio, com espécies unicelulares e multicelulares formadas por filamentos denominados hifas. São conhecidos popularmente por: leveduras (fermento), bolores, mofos, cogumelos e orelha-de-pau.

    Dessa forma, o Reino Fungi se subdivide nos Filos: Ascomycetes, Phycomycetes, Basidiomycetes e os Deuteromycetes.

    Ascomycetes (ascomicetos) → assim chamados devido o processo de reprodução sexuada formando sacos, conhecidos cientificamente como ascos (daí a origem do nome), que posteriormente se transformam em esporos.
    Phycomycetes (ficomicetos) → são os fungos mais simples, semelhantes a uma alga, contendo esporos dotados de flagelos.
    Basidiomycetes (basidiomicetes) → formam estruturas reprodutivas denominadas basídios, cuja base encontra-se fixa ao corpo de frutificação (eixo de sustentação), ficando com extremidades livres formando os basidiósporos, estrutura que aloja os esporos (exemplo: cogumelos).
    Deuteromycetes (deuteromicetes) → ou fungos imperfeitos, com estrutura reprodutora pouco detalhada e conhecida, sendo a grande maioria parasita causadores de doenças.

    ResponderExcluir
  4. reino fungi
    por: keidy rafaelly
    Os fungos são classificados num reino separado das plantas, animais e bactérias. Uma grande diferença é o fato de suas células terem paredes celulares que contêm quitina, ao contrário das células vegetais, que contêm celulose. Estas e outras diferenças mostram que os fungos formam um só grupo de organismos relacionados entre si, denominado Eumycota (fungos verdadeiros), Os fungos são abundantes em todo mundo, e sua maioria não se percebe de imediato devido ao pequeno tamanho das suas estruturas, e pelos seus modos de vida críticos no solo, na matéria morta, e como simbiontes de plantas, animais, e outros fungos.Os fungos podem decompor materiais artificiais e construções, e tornar-se patogênicos para animais e humanosOs fungos possuem poucos cloroplastos e são organismos heterotróficos.
    Os fungos possuem uma parede celular e vacúolos. Reproduzem-se por meios sexuados e assexuados, e tal como os grupos basais de plantas (como os fetos e musgos) produzem esporos. Tal como os musgos e algas, os fungos têm núcleos tipicamente haploides.
    Os fungos mais desenvolvidos, os euglenoides e algumas bactérias, produzem o aminoácido L-lisina em passos específicos de biossíntese, a via do alfa-aminoadipato.
    Os fungos podem se desenvolver em meios de cultivo especiais formando colônias de dois tipos:leveduriformes;filamentosas.
    As colônias leveduriformes são pastosas ou cremosas, formadas por microrganismos unicelulares que cumprem as funções vegetativas e reprodutivas.As colônias filamentosas podem ser algodonosas, aveludadas ou pulverulentas; são constituídas fundamentalmente por elementos multicelulares em forma de tubo — as hifas.

    ResponderExcluir
  5. Por: Revyson Leal
    Eu gostei muito desse blog ,por que ele ensina de uma forma muito clara sobre os fungos , e através dele eu tive como obter muitos conhecimentos. E vai aí um pouco do conhecimento obtido através de estudos, e através do blog.
    Os principais organismos que podem representar os fungos, são os: bolores os cogumelos ,as orelhas-de-pau e as leveduras , são eucarióticos, heterótroficos.
    Nas classificações mais antigas eles foram considerados plantas degeneradas por que haviam perdido clorofila e a capacidade de realizar fotossíntese.Depois de algum tempo novos conhecimentos biológicos mostraram que os fungos são mais aparentados com os animais do que com as plantas , por esse motivo ele foi transferido para o reino Protista .Durante a decáda de 70 os biológos reconheceram que , por serem tão diferentes dos outros grupos de seres vivos , os fungos mereciam um reino só dels , foi daí que veio o reino Fungi
    Atualmente são conhecidas mais de 70 mil espécies de fungos, e a cada ano são descritas entre 1,5 e 2 mil novas espécies.Por existirem uma enorme quantidade de fungos o reino foi dividido em 5 grupos: Filo Chytridiomycota(quitridiomicetos ou mastigomicetos), Filo Zigomicota(zigomicetos), Filo Ascomycota(ascomicetos), Filo Basidiomycota(basidiomicetos),e Deuteromycota(deuteromicetos).
    Os fungos são organismos fundamentais ao equílibrio da natureza.Algumas espécies juntamente com certas bactérias, tem como função a de agente decompositor , destruindo cadáveres, restos de plantas e restos de animais.Isso permite que os elementos químicos constituintes da matéria orgânica dos seres mortos sejam aproveitados pelos novos seres que nascem, só que essa atividade de decomposição pode ter seus pontos negativos, já que os fungos causam apodrecimento de roupas, objetos de couro, cercas, alimentos, etc.
    Muitas espécies de fungos são utilizados na fabricação dea limentos e bebidas fermentadas como: pão,cerveja,na produção de vinho, na produção do queijo e etc.
    E então depois deste conhecimento eu pude concluir que os fungos tem o seu lado negativo e seu lado positivo, e que eles são muito importantes tanto para o nosso di-a-dia quanto para a nossa saúde .

    ResponderExcluir
  6. tainara dos santos pereira:
    Na natureza há diferentes tipos de fungos. Podemos dizer que eles são uma forma de vida bastante simples. Com relação às diferenças, existem aqueles que são extremamente prejudicais para a saúde do homem, causando inúmeras enfermidades e até intoxicação. Encontramos também os que parasitam vegetais mortos e cadáveres de animais em decomposição. Temos também os que são utilizados para alimento e até aqueles dos quais se pode extrair substâncias para a elaboração de medicamentos, como, por exemplo, a penicilina.
    Como sabemos os fungos são muito numerosos na natureza e podem ser encontrados em todas as partes.Os fungos são encontrados no solo, na água, nos vegetais, em animais, no homem e em detritos em geral. O vento age como importante condutor espalhando seus propágulos e fragmentos de hifa.
    Os fungos terrestres podem se reproduzir sexuada e assexuadamente.A maior parte dos fungos, assim como as bactérias, desempenho papel de grande importância na economia da natureza, produzem anidrido carbônico, que passa para a atmosfera, e diversas substâncias minerais, que, dissolvidas no solo pela chuva e umidade, constituem alimento para outras plantas.
    Esse blog tem o papel fundamental de transmitir conhecimentos mais especificos sobre fungos.

    ResponderExcluir
  7. Por: Lorena Morais

    Os fungos podem ter algumas características perigosas para vida dos seres vivos, mas eles também tem um papel importante, como por exemplo na preparação e conservação de alimentos e com outros fins:

    O uso humano dos fungos na preparação e conservação de alimentos e com outros fins, é extenso e tem uma longa história. A apanha e o cultivo de cogumelos são grandes indústrias em muitos países. O estudo dos usos históricos e impacto sociológico dos fungos é conhecido como etnomicologia. Por causa da capacidade deste grupo para produzir uma enorme variedade de produtos naturais com atividades antimicrobianas ou outras, muitas espécies são há muito usadas, ou estão em estudo, para a produção de antibióticos, vitaminas, e drogas anticancerígenas e redutoras do colesterol. Mais recentemente, foram desenvolvidos métodos de engenharia genética para fungos,permitindo a engenharia metabólica de espécies de fungos. Por exemplo, modificações genéticas de espécies de leveduras— que são fáceis de cultivar com taxas de crescimento elevadas em grandes vasos de fermentação—abriu novos caminhos à produção farmacêutica e são potencialmente mais eficientes do que a produção pelos organismos-fonte originais.

    Uso Antibióticos
    Muitas espécies produzem metabolitos que são fontes importantes de drogas farmacologicamente activas. Particularmente importantes são os antibióticos, incluindo as penicilinas, um grupo estruturalmente relacionado de antibióticos betalactâmicos sintetizados a partir de pequenos péptidos. Apesar de as penicilinas de ocorrência natural como a penicilina G (produzida por Penicillium chrysogenum) terem um espectro de atividade biológica relativamente estreito, uma grande variedade de outras penicilinas podem ser produzidas por modificação química das penicilinas naturais. As penicilinas modernas são compostos semissintéticos, obtidos inicialmente de culturas de fermentação, mas em seguida estruturalmente alterados para obtenção de propriedades desejáveis específicas.Entre outros antibióticos produzidos por fungos incluem-se: griseofulvina de Penicillium griseofulvin usada no tratamento de infecções da pele, cabelo e unhas, causadas por dermatófitos; ciclosporina, usada como imunossupressor em cirurgia de transplantação; e o ácido fusídico, usado para ajudar no controlo de infecção pela bactéria Staphylococcus aureus resistente à meticilina.O uso em larga escala destes antibióticos no tratamento de doenças bacterianas, como a tuberculose, sífilis, lepra, e muitas outras, começou no início do século XX e continua a desempenhar um papel principal na quimioterapia antibacteriana.

    Usos alimentares
    A levedura de padeiro ou Saccharomyces cerevisiae, um fungo unicelular, é usado para fazer pão e outros produtos à base de trigo. Espécies de leveduras do género Saccharomyces são também usadas na produção de bebidas alcoólicas por fermentação. O bolor shoyu koji (Aspergillus oryzae) é um ingrediente essencial na preparação de shoyu (molho de soja), saqué, e miso, enquanto espécies de Rhizopus são usadas para fazer tempero. Vários destes fungos são espécies domesticadas que foram selecionadas segundo a sua capacidade de fermentar alimentos sem produzirem micotoxinas (ver abaixo) prejudiciais, as quais são produzidas pelos muito aparentados Aspergillus.Quorn, um substituto de carne, é feito a partir de Fusarium venenatum.

    ResponderExcluir
  8. O reino dos fungos abrange um vasto grupo de seres vivos. São organismos eucariontes, aclorofilados, heterótrofos, popularmente conhecidos como bolores, mofos, leveduras, cogumelos-de-chapéu, orelhas-de-pau. Incorporam seus nutrientes por absorção: as células do corpo dos fungos eliminam enzimas que digerem a matéria orgânica presente no meio, possibilitando sua absorção.

    Os fungos terrestres podem se reproduzir sexuada e assexuadamente.

    Os fungos pode ajudar na saúde do homen como tambem pode prejudicar os fungos tem aplicação de fungos na medicina, indústrias e pesquisas em geral Fungos são organismos de extrema importância, em razão de sua grande versatilidade. Utilizados na fabricação de alimentos, na indústria farmacêutica, como controladores de pragas, etc., também podem ser responsáveis pela destruição de lavouras e utensílios, como os de couro e madeira; e também por infecções humanas.

    Os fungos faz parte do nosso dia dia com os nofos bolos e outros de de nomes q ele são conhecido nos alimento roupas e lugares q tem bastantes umidos. Além de ter o papel de produção de alguns alimentos usados pelo homen.

    Com esse trabalho pode ver que os fungos tem muito a oferecer para nos seres humanos e não so doenças e tambem vir que os fungos é muito bom e interessante para se estudar e que são responsaveis por muitas coisa feitas para nos.

    Por. Luciano da Silva Santos

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Os fungos são abundantes em todo o mundo, e a sua maioria não se percebe de imediato devido ao pequeno tamanho das suas estruturas, e pelos seus modos de vida críticos no solo, na matéria morta, e como simbiontes de plantas, animais e outros fungos.

    Os fungos formam uma linha evolutiva independente das plantas; aliás, a comparação de seqüências de RNA ribossômico, mostra que eles são mais relacionados aos animais.

    Atualmente, enquadram-se no Reino Fungi (ou Eumycota).

    Os fungos não formam tecidos verdadeiros e são extremamente simples, podendo ser unicelulares (levedos, como o Saccharomyces) ou filamentosos.
    Os fungos podem decompor materiais artificiais e construção.

    Os fungos têm um papel importante que é a conservação e preparação de alimentos e até mesmo na preparação de remédios, mas os fungos também podem ser perigosos como bolores em alimentos, doenças.


    Por: Gabriel Tadeu Tavares de Souza Santos

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir